• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Novas restrições geram reações e confusão no Paraguai


O Governo Paraguai recomendou ontem dia 19 de dezembro que os residentes em Assunção e região Central do Paraguai não se dirijam ao interior do país. Sem dança, sem futebol amador, sem entrar em casa. Essas são algumas das novas restrições que entrarão em vigor de 25 de dezembro a 3 de janeiro. O anúncio gerou confusão e protestos Em duas coletivas de imprensa no mesmo dia, a primeira disse uma coisa e depois outra. O ministro da Saúde, Julio Mazzoleni, falou sobre as novas medidas que farão parte do decreto. Em primeiro lugar, ao meio-dia foi anunciado que o movimento dos habitantes de Assunção e Central para o interior estava restrito.


CIRCULAÇÃO

No que se refere à mobilidade nas ruas, nos dias 24, 25 e 31 de dezembro, além do dia 1º de janeiro, o horário permitido para circular será estendido até a 01h00. Atualmente é até às 00h00.

Nesse ponto, uma das restrições indica que bailes não são permitidos em eventos. As piscinas públicas, spas e praias ainda não estão habilitadas. O futebol amador está suspenso, como outros esportes de contato físico. A atividade física pode ser realizada em até quatro pessoas ao ar livre. O uso de máscaras ainda é obrigatório. Também dá continuidade à recomendação de que repartições públicas trabalhem com o sistema de tripulação. Todas as disposições desta etapa serão retiradas automaticamente a partir de 4 de janeiro, anunciou Mazzoleni. Assunção e Central concentram o maior número de casos do país, tornando-se o epicentro da doença por mais de três meses. Durante a conferência do meio-dia, o chefe da pasta de saúde mencionou que de cada cinco pacientes hospitalizados para Covid-19, um vai para a terapia intensiva. Ele também se referiu a um aumento significativo de casos na região do Alto Paraná.


REAÇÕES


O anúncio feito ao meio-dia gerou uma série de reações por parte do público. A confusão foi gerada ainda mais quando pela manhã o ministro do Interior, Euclides Acevedo, indicou que a restrição de viagens seria apenas para ônibus de longa distância. Isso gerou protestos no Terminal Rodoviário de Assunção. Juan José Vidal, diretor da Dinatrán, havia mencionado que o setor de transportes não teve movimento durante a Semana Santa e outras festividades. Ele também se perguntou como os controles seriam feitos.

2 visualizações0 comentário
Azul.png
Logo_Rádio_Mundial.png