• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Itaipu apoia campanha nacional para proteção das crianças e adolescentes


A binacional atua em parceria com a Childhood Brasil para combater o abuso e a exploração sexual infantojuvenil.


Neste 18 de maio, “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, a Itaipu Binacional reforça a campanha “Faça Bonito”, voltada à proteção da infância e da juventude, com o compartilhamento das ações nas redes sociais e divulgação da iniciativa junto ao público interno.


A atividade é desenvolvida pelo Programa Na Mão Certa, da Fundação Childhood Brasil, que lançou uma série de materiais focados nas mídias sociais para sensibilizar a população sobre o tema, disponíveis em https://www.facabonito.org/. A ideia é chegar com êxito a todos os públicos e lembrar o Disque 100, central para recebimento de denúncias de abusos contra crianças e adolescentes.


O ponto focal do Programa pela Itaipu, Kleber Vanolli, da Divisão de Educação Ambiental, destaca que, mesmo em período de pandemia, o tema continua sendo de extrema importância, e por isso é necessário mobilizar diversos setores da sociedade. “Muitas vezes o abusador de uma criança está dentro da casa dela. Assim, é necessário que todos nós fiquemos atentos ao que se passa ao nosso redor, já que essas crianças e adolescentes estão afastados de professores e outras pessoas da sua confiança para denunciar possíveis situações”, salienta Vanolli.


Diante dessa situação, a campanha está enfatizando dicas de como proteger crianças e adolescentes da violência sexual durante a pandemia. Entre elas estão:


• Converse de forma franca e sincera sobre as partes íntimas do corpo e privacidade;

• Reforce que a criança ou adolescente pode e deve dizer NÃO e se afastar quando for tocada de forma que não a agrade;

• Oriente as crianças e adolescentes sobre quais são as situações de risco e como ela pode se proteger;

• Explique para a criança ou adolescente que “segredos” não são uma coisa boa;

• Fale para crianças e adolescentes que elas devem escolher um adulto em quem confiem e se sintam seguras para falar sobre questões e situações que não as deixam confortáveis.


Alerta


A Campanha Faça Bonito reforça ainda que muitos abusadores utilizam a internet como principal meio de acesso às crianças e adolescentes. Sendo assim, a família e amigos precisam reforçar os cuidados com relação ao uso dessa ferramenta por parte dos menores de idade.


“É importante entender que não se trata de proibir o uso da internet, mas sim orientar, acompanhar e até mesmo colocar limites”, explica Vanolli. Seguir algumas “regrinhas de ouro” pode ser um bom começo:


• Caso a criança ou adolescente passe muito tempo no celular ou em chats com pessoas que até então não faziam parte do círculo social, questione.

• Fique atento caso a criança ou adolescente aja como se estivesse escondendo algo, por exemplo, fechando um aplicativo quando um adulto se aproxima.

• A velha regra “não fale com estranhos” também serve para a comunicação virtual.

• Lembre-os que nenhum aplicativo impede que uma imagem seja capturada e depois compartilhada sem o consentimento de quem está na fotografia.


Denúncia


Já em caso de suspeita ou confirmação de algum caso, é preciso denunciar. Os canais são:

• Disque 100 – Conselho Tutelar ou (45) 99921-7576 e (45) 999947-4114

• Polícia Civil – 181

• Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítima de Crimes (NUCRIA) – 3524-0396

• Polícia Militar – 190

• Safernet - www.safernet.org.br (para crimes on-line)


Lei de combate


A data de 18 de maio foi escolhida para marcar a luta contra abuso e exploração infanto-juvenil porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país – o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade que foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.


“O nosso trabalho agora é não deixar que mais crimes como esse aconteçam ou que permaneçam impunes. É papel de todos combater essas situações. Fiquem atentos”, conclui Kleber Vanolli.

3 visualizações0 comentário
Azul.png
Logo_Rádio_Mundial.png