• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Inauguração de tecnologias do Vila A Inteligente marca início de nova etapa voltada para aplicações


Estimulando a inovação empreendedora com foco em cidades inteligentes, o primeiro e maior bairro Sandbox do Brasil está aberto para ser usado para testes e validações de tecnologias, bem como modelos de negócios com foco na inovação em ambiente real, por meio do edital Smart Vitrine.

Estão oficialmente inauguradas as tecnologias instaladas no primeiro e maior bairro Sandbox do Brasil, o Vila A Inteligente. Em evento, nesta sexta-feira, 16 de julho, foi marcada a entrega da primeira fase do projeto, que consiste na instalação de algumas soluções tecnológicas: semáforos inteligentes, luminárias inteligentes, pontos de ônibus inteligentes e um Centro de Controle e Operações (CCO). A segunda etapa do projeto prevê a intensificação dos testes das tecnologias de cidades inteligentes, além da instalação das startups e empresas inovadoras, por meio do edital Smart Vitrine.


O objetivo do Programa Vila A Inteligente é testar a assertividade de soluções de cidades inteligentes em um espaço urbano real, com experimentação e validação de tecnologias em benefício do bem-estar da população e geração de negócios. A realização é uma parceria entre a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o Parque Tecnológico Itaipu - Brasil (PTI-BR), a Itaipu Binacional, Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu, com apoio da Copel e Inmetro. Este último entra como importante parceiro para o Programa, pois garantirá que as tecnologias testadas são seguras e eficazes para poderem ser replicadas em outros municípios do Brasil.


Para o diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu, general Eduardo Garrido, iniciamos agora uma nova fase rumo ao avanço tecnológico da cidade. “Seguimos para novos desafios. Queremos dinamizar e diversificar a economia de Foz do Iguaçu e região, e claro, trazer qualidade de vida e bem-estar à sociedade. Estamos dando início à segunda fase do Programa Vila A Inteligente, onde daremos foco na prospecção e atração de empresas e startups que possuam tecnologias para serem testadas e validadas”, comenta Garrido.


O presidente da ABDI, Igor Calvet, ressaltou que o Vila A Inteligente é hoje uma área robusta de testes de tecnologias, inovadora, moderna e vanguardista. “Tenho certeza de que o Hub Iguassu será, ao final deste processo, um grande Hub nacional de inovação, tecnologia e empreendedorismo”, afirmou. Calvet celebrou também a convergência entre as instituições parceiras, que “estão bem articuladas em prol de um objeto comum”. E lembrou que, como se trata de uma zona de testes, algumas tecnologias do Vila A podem até apresentar falhas, mas, de acordo com ele, “temos o compromisso de corrigir os rumos e apresentar as melhores evidências para que a população não sinta que está envolvida pela tecnologia, mas tenha melhorias na sua qualidade de vida”.


General Ferreira, diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, lembra que o Bairro Itaipu A, sempre esteve diretamente ligada à Usina. “Lembro que o bairro foi construído nos anos 70 para abrigar as famílias dos trabalhadores que ergueram a muralha de concreto e aço da barragem. Todos unidos para alcançar o objetivo, bem como trabalhamos hoje, para construção de uma Vila A mais tecnológica. Ferreira ressaltou ainda que, além de produzir energia, a empresa vem se modernizando constantemente para apresentar os mais diversos benefícios à sociedade.


Para o prefeito de Foz do Iguaçu, "o Vila A Inteligente é um projeto que só está começando e já vem provocando mudanças positivas para os moradores e aqueles que transitam pelo bairro”, afirma o prefeito Chico Brasileiro. “A iniciativa tem um grande potencial para transformar Foz do Iguaçu em uma cidade referência em tecnologia e inovação para todo o País e de promover grandes melhorias para a qualidade de vida da população. Vamos, cada vez mais, integrar os serviços públicos a essas tecnologias para oferecer um melhor atendimento a todos os cidadãos".


“O que é importante num projeto como esse é a oportunidade de testar serviços que devem ser o futuro do setor elétrico e através disso conseguir fidelizar consumidores. Esse é um projeto estratégico para a COPEL e o setor elétrico”, disse o diretor de desenvolvimento de Negócios da COPEL, Cássio Santana.


Segundo o secretário de empreendedorismo e inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Paulo Alvim, o Vila A Inteligente é uma “iniciativa de impacto econômico-social muito significativo”, e que demonstra a bem-sucedida convergência entre governos, comunidade acadêmica e setor empresarial.


O superintendente de Inovação do Governo do Paraná, Marcelo Rangel, presente ao evento, disse que inovação é sinônimo de oportunidade. “Temos uma vila que está transformando a vida do cidadão de Foz, trazendo oportunidades de empregos para famílias e tornando a cidade uma referência em inovação e tecnologia”, afirmou.


Ainda sobre os próximos passos, o Vila A Inteligente será o pilar para o Hub Iguassu, que é uma grande plataforma de negócios e inovação para impulsionar as empresas que poderão testar e validar suas tecnologias no bairro Sandbox. A afirmação é do diretor superintendente do PTI. “Queremos também estimular nossa academia para aproveitar todo o potencial de nossos universitários direcionando-os ao empreendedorismo e à inovação”, finaliza o general.


O Programa Vila A Inteligente é operacionalizado em um Sandbox, que é uma área livre de regulação para testes de tecnologias de cidades inteligentes. Trata-se de um ambiente onde o município, primeiro, testa uma tecnologia, valida com a população e, em caso de sucesso, replica para todo o município. Essa área é delimitada por meio de um decreto. Empresas também podem testar tecnologias nesta zona urbana.


Primeira fase: tecnologias instaladas


Semáforos inteligentes - Os semáforos inteligentes são sistemas que utilizam da inteligência artificial capazes de entender os fluxos de veículos, aumentando ou diminuindo o tempo dos sinais. No município, o tempo dos semáforos é definido pelo Foztrans, que já conhece os fluxos e os horários de tráfego mais intenso da região.


Luminárias inteligentes - Estão em funcionamento 48 luminárias, com telegestão e câmeras integradas. A telegestão é um conjunto de hardware e software funcionando acoplado à luminária, capaz de controlar remotamente a iluminação e a câmera, além de possibilitar muitas outras aplicações voltadas para a Internet das Coisas (interconexão digital de objetos cotidianos à internet). Também estão funcionando 78 luminárias (apenas com sistema de telegestão) e 20 câmeras PTZ com capacidade de movimentação horizontal, vertical e aproximação, localizadas em pontos estratégicos. As luminárias são bem diferentes das que atualmente existem na cidade, tendo um sistema de telegestão que coleta diversas informações, através de uma rede sem fio, como: tensão de alimentação, consumo elétrico, alerta de manutenção, entre outros. Esse tipo de solução permite uma melhora na gestão dos recursos públicos, além de manutenções mais rápidas e precisas, ou seja, redução de gastos públicos.

Pontos de ônibus inteligentes - Os pontos inteligentes estão equipados com telas que mostram informações úteis ao usuário, por exemplo, as linhas de ônibus com horários previstos de chegada e seus respectivos itinerários; mapa indicando a localização do ponto de ônibus, das tecnologias do Vila A Inteligente e das principais referências do bairro (Gramadão, Catedral, Hospital, entre outros); e QRcode que direciona para landing page com informações sobre as tecnologias instaladas no Vila A Inteligente. Estão disponíveis, também, portas USB para carregamento de baterias de celulares, além de iluminação própria que ajudará na segurança do local no período noturno. A previsão é para que, em breve, outras informações estejam disponíveis na tela, como a previsão do tempo, temperatura e umidade relativa do ar. Os locais, futuramente, contarão com pontos de acesso Wi-fi.


Centro de Controle e Operações - O Centro de Controle e Operações está funcionando na Concha Acústica do Gramadão, contando com 8 televisores instalados com software de vídeo wall, permitindo a visão integral de todas as imagens e informações obtidas a partir das tecnologias acima citadas. O CCO é operado pelos colaboradores do Parque Tecnológico.


Segunda fase: Smart Vitrine


Agora, o ambiente urbano entra para a etapa de testes das tecnologias instaladas e das soluções de inovação por parte de empresas de tecnologias e startups. Na semana passada, foi lançado o edital Smart Vitrine, voltado para a seleção de empresas que vão demonstrar e validar soluções para resolver problemas reais da população e melhorar a qualidade de vida, com foco em gerar novos negócios e alavancar empresas. O Smart Vitrine integra o Programa Vila A Inteligente, e marca a segunda fase do Programa. Por ele, será possível selecionar empresas que trabalham com serviços e produtos voltados ao tema de cidades inteligentes. Para general Garrido, o Smart Vitrine já está sendo tão procurado quanto era esperado. “Conseguimos notar que o edital já foi baixado em diversos estados brasileiros, e em mais de 6 países, incluindo os Estados Unidos”, diz. É possível saber mais clicando aqui. https://youtu.be/USzQA_yPVXI





Do bairro à Usina

As autoridades presentes participaram de coletiva com a imprensa e finalizaram a agenda com uma visita pelas tecnologias instaladas na Vila A e nos demais pontos onde é possível instalar e testar tecnologias de acordo com as oportunidades do bairro.

14 visualizações0 comentário
Azul.png
Logo_Rádio_Mundial.png