• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Foz do Iguaçu registra queda na média móvel de casos da Covid-19


Medidas restritivas e lockdown aos finais de semana têm contribuído para a redução dos números; preocupação é também diminuir número de internamentos e mortes pela doença


As medidas restritivas adotadas pelo município de Foz do Iguaçu para conter o avanço da pandemia já apresentam resultados efetivos com a redução na média móvel dos casos. A curva mostra tendência de queda iniciada a partir do dia 25 de fevereiro – quatro dias após o decreto que implantou o toque de recolher, a suspensão de bailes, confraternizações e atividades esportivas coletivas.


No boletim desta segunda-feira, 22, divulgado pela Vigilância Epidemiológica, a média móvel de casos diários de Covid-19 era de 133,43, uma queda significativa na comparação com 14 dias atrás, quando a média era de 307,57. A média móvel leva em consideração os últimos sete dias. Atualmente, são 483 casos ativos da doença na cidade, menor índice desde 17 de fevereiro.


O lockdown adotado pelo município nos últimos dois finais de semana, com fechamento total do comércio e restrição de circulação de pessoas, também apresentou índices positivos. Foram 68,5% de isolamento social neste domingo (21) e 74,6% no domingo passado (14), os maiores índices registrados desde o início da pandemia, em março do ano passado. A taxa de reprodução de casos no município atualmente está em 0,79 - o que significa que cada pessoa infectada transmite para 0,79 pessoas o vírus. Há 15 dias, a taxa era de 1,11 - mais um indicativo de que as medidas restritivas foram efetivas.


Internações

Para o diretor geral do Hospital Municipal Padre Germano Lauck, Sergio Fabriz, com a queda no número de casos, será possível reduzir as internações em até trinta dias. “Uma pessoa infectada pode agravar e precisar de UTI em até dez dias, podendo permanecer internada por quinze ou vinte dias, por isso a redução no número de internamentos será sentida nos próximos trinta dias, em média”, explicou. Segundo ele, para que o sistema hospitalar volte a operar na sua normalidade, o ideal seria reduzir para 300 casos ativos, e no máximo 100 casos por dia. “Os decretos com as medidas restritivas são importantes e foram eficazes para a redução de casos. Esperamos que a população continue colaborando e redobrando os cuidados para que possamos reduzir as internações e casos graves”, comentou.

A secretária de saúde, Rosa Maria Jeronymo, avaliou as ações como positivas e voltou a pedir o apoio da população para frear a transmissão da Covid-19. “A Secretaria Municipal de Saúde juntamente com o Hospital Municipal têm feito grandes esforços para atender a população e fazer com que as pessoas não evoluam para a forma grave, mas precisamos muito do apoio de todos (as). É fundamental que as pessoas entendam, que neste momento, é preciso ficar em casa e sair somente quando extremamente necessário. Precisamos da colaboração da população, para juntos, vencermos essa pandemia”, disse.


Preocupação

Nesta segunda (22), foram registrados 109 casos e 13 mortes por Covid-19. A taxa de ocupação dos leitos de UTI está em 100%, com o uso de recursos extras para atender todos os pacientes graves. O mês de março já registra 160 mortes pela doença, o maior número até agora. Desde o início da pandemia, Foz do Iguaçu já registrou 30.699 casos do coronavírus. Deste total, 29.651 pessoas estão recuperadas, 297 estão em isolamento domiciliar e 186 iguaçuenses estão internados. Até agora, 565 pessoas perderam a vida em consequência da doença.


Vacina

Além das medidas restritivas, o município segue vacinando os grupos de risco determinados pelo Plano Estadual de Imunização. Idosos com mais de 75 anos estão sendo imunizados, bem como os profissionais da saúde. Foz do Iguaçu recebeu 21.636 doses e aplicou 19.392 até o último sábado (20).


Link: https://www5.pmfi.pr.gov.br/noticia-47611

0 visualização0 comentário
Logo_Rádio_Mundial.png