• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Diretor superintendente do PTI agradece general Silva e Luna e dá boas vindas ao novo diretor-geral



General Ferreira destaca a importância de permanente inovação e atualização tecnológica por parte da Usina. PTI e Itaipu seguem alinhados


A quarta-feira, 07, foi marcada pela solenidade de transmissão do cargo de Diretor-Geral Brasileiro da Itaipu Binacional. General Joaquim Silva e Luna, que esteve à frente da Usina por dois anos, passa a missão para o general João Francisco Ferreira.


Motivado a fazer face ao novo desafio, o diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Ferreira, destaca que sua dedicação ao cargo será em tempo integral, seguindo os passos da boa gestão desempenhada por Silva e Luna. “A proximidade dos 50 anos de Itaipu nos traz muitas expectativas e indagações quanto o futuro, pela atual velocidade de avanço do conhecimento, o que exige permanente inovação e atualização tecnológica”.


O diretor superintendente do Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR), general Eduardo Garrido, esteve presente na cerimônia de posse e apreciou o trabalho desenvolvido por Silva e Luna nestes dois anos. “Foi um grande privilégio trabalhar sob as diretrizes do ex-diretor-geral brasileiro que, desde o começo, nos sinalizou a busca pela austeridade e sustentabilidade do PTI”. General Garrido ressaltou que as diretrizes recebidas entre 2019 e 2021 guiaram todas as ações que estão sendo desenvolvidas no Parque Tecnológico, desde a revisão do planejamento estratégico ao estímulo do empreendedorismo e inovação por parte da instituição.


Garrido sinalizou a importância do alinhamento entre a gestão da Itaipu e do Parque Tecnológico. “Passamos a desenvolver ações mais voltadas para o mercado, para a cidade de Foz do Iguaçu, trabalhamos na busca pela diversificação da economia da cidade, buscando criar oportunidades de novos negócios e geração de empregos”. Essas oportunidades são reflexo das diretrizes vindas de Itaipu. O diretor superintendente destacou ainda que o Parque Tecnológico Itaipu está pronto para receber as orientações e diretrizes de Itaipu sobre o caminho a ser seguido, uma vez que a Usina é mantenedora e parceira do PTI. Os generais Garrido e Ferreira já estão em alinhamento.


A solenidade contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro que exaltou o trabalho de Silva e Luna, e desejou sucesso ao novo Diretor-Geral Brasileiro, general Ferreira. “O povo brasileiro pode ter uma certeza, levando em conta a vida pregressa do novo DGB, os senhores continuarão tendo uma excelente administração na Itaipu Binacional”. Também presente, o Ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, desejou “boas vindas à família Itaipu”. Além destas, outras autoridades do Paraná e nacionais participaram do evento.

O presidente Jair Bolsonaro também esteve presente na posse de Silva e Luna, no dia 26 de fevereiro de 2019. O general foi indicado pelo presidente, no último dia 19 de fevereiro, para assumir a presidência da Petrobras, o que deve acontecer após assembleia do Conselho Administrativo da estatal, prevista para o próximo dia 12 de abril.


Um “até breve!”


Emocionado, em seu discurso de despedida, Silva e Luna agradeceu ao presidente Bolsonaro pela nomeação como Presidente da Petrobras, e desejou votos de sorte ao seu sucessor, o colega de turma e amigo general João Francisco Ferreira. Aplaudido de pé, o general fez um rápido balanço da gestão, e contou que a economia de recursos com as ações de austeridade adotadas foi “devolvida aos consumidores brasileiros” na forma de “legados inquestionáveis”, por orientação do presidente Jair Bolsonaro.


O ex-diretor-geral brasileiro enumerou as ações principais desenvolvidas nesse sentido, em termos de gestão: centralização de toda a empresa em Foz do Iguaçu; fim dos convênios e patrocínios que não tinham aderência à missão de Itaipu; unificação das estruturas replicadas; encurtamento e informatização dos processos decisórios; redução dos custos operacionais; envolvimento de todos os níveis de direção com a governança.


Ferreira é o 13º diretor-geral brasileiro da binacional e o quarto militar a comandar a hidrelétrica. O primeiro foi o general José Costa Cavalcanti (1974-1985), o segundo o coronel Ney Aminthas de Barros Braga (1985-1990) e o general Joaquim Silva e Luna (2019-2021).


Conheça o novo diretor-geral brasileiro de Itaipu


O general-de-exército João Francisco Ferreira, nascido em 30 de novembro de 1949 na cidade de Santa Maria, Rio Grande do Sul, incorporou ao Exército no ano de 1966, na Escola Preparatória de Cadetes do Exército, em Campinas (SP). É bacharel em Ciências Militares pela Academia Militar das Agulhas Negras, onde se formou como oficial de Infantaria no ano de 1972.


No início de sua carreira, serviu no 7º Batalhão de Infantaria Blindado, em sua terra natal, e no 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista, no Rio de Janeiro. O general Ferreira é paraquedista militar, mestre de salto paraquedista e possui o curso de salto livre paraquedista. Em 1978, formou- se em Educação Física na Escola de Educação Física do Exército, sediada no Rio de Janeiro.


Em 1981, cursou a Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais. Após o curso, foi classificado no 63º Batalhão de Infantaria, na cidade de Florianópolis (SC). Em julho de 1983, foi designado para a Missão Militar Brasileira de Instrução no Paraguai, onde serviu por dois anos como assessor de paraquedismo junto às Forças Armadas da República do Paraguai. De volta ao Brasil, serviu no 29º Batalhão de Infantaria Blindado, em Santa Maria.


Nos anos de 1988 e 1989, cursou a Escola de Comando e Estado-Maior do Exército, no Rio de Janeiro. Após o curso, voltou a Santa Maria, onde serviu como oficial de estado-maior da 6ª Brigada de Infantaria Blindada. Foi promovido ao posto de tenente-coronel no ano de 1990. Três anos depois, serviu como instrutor na Academia Militar das Agulhas Negras.


Em 1995, assumiu o Comando do 8º Batalhão de Infantaria Motorizado, em Santa Cruz do Sul (RS). Durante o comando, foi promovido a coronel. Em janeiro de 1998, foi nomeado oficial do Gabinete do ministro do Exército e, em junho de 1999, adido militar na Embaixada do Brasil no México.


Após seu retorno ao país, em 2002, foi promovido a general-de-brigada e designado comandante da 8ª Brigada de Infantaria Motorizada, sediada em Pelotas (RS). No período de 2004 a 2005, comandou a Brigada de Infantaria Paraquedista, no Rio de Janeiro.


Foi promovido a general-de-divisão em 2006 e designado vice-chefe do Estado-Maior de Defesa do Ministério da Defesa. De abril de 2008 a janeiro de 2011, comandou a 6ª Região Militar, em Salvador (BA)


Com informações da Comunicação Social da Itaipu Binacional

2 visualizações0 comentário
Azul.png
Logo_Rádio_Mundial.png