• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Consórcio faz resgate arqueológico na região da construção da nova Ponte Brasil/Paraguai


Após anuência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, teve início no mês de novembro as atividades de resgate arqueológico no Sítio Porto Meira I, localizado nas proximidades das obras de implantação do futuro Acesso à Ponte na diretriz da BR-277.

O resgate seguiu ao longo do mês de dezembro, quando teve início o resgate do Sítio Porto Meira II, também localizado na área de influência das obras do Acesso, distante cerca de 590 metros do primeiro sítio. As atividades de resgate arqueológico fazem parte da Pesquisa Arqueológica do empreendimento, autorizada pelo IPHAN, através da qual o empreendedor atendente as diretrizes desse Órgão no que diz respeito à conservação, preservação e divulgação do Patrimônio Histórico e Arqueológico identificado na fase

de prospecção e avaliação de impacto aos bens patrimoniais protegidos por lei em território

nacional. O programa de Resgate tem como objetivo prevenir danos ao Patrimônio, protegido pela Constituição Federal e pela Lei nº 3.924/1961,aprofundar o conhecimento sobre a ocupação pré-colonial e histórica da Região Oeste do Paraná e do município de Foz do Iguaçu, e recomendar ao empreendedor as medidas mais adequadas a serem tomadas quanto à preservação ou resgate de bens arqueológicos dispostos nas áreas que sofrerão interferências em decorrência do empreendimento. O projeto conta com o apoio e a cooperação institucional do Museu Paranaense, que ficará responsável pela guarda dos bens protegidos resgatados durante as pesquisas.







72 visualizações0 comentário
Azul.png
Logo_Rádio_Mundial.png