• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Bolsonaro pede acesso aos celulares de advogados de Adélio


O presidente da República, Jair Bolsonaro, entrou com uma ação pedindo que seja revista a decisão da Justiça de não autorizar o acesso aos celulares dos advogados de Adélio Bispo, autor da tentativa de assassinato contra o então candidato à presidência. O pedido de Bolsonaro foi apresentado pelo advogado Frederick Wassef nessa terça-feira (15).


De acordo com Wassef, há no processo da investigação elementos que apontam “circunstâncias atípicas” em relação a Adélio.


“Ao longo da apuração envidada nos IPLs n° 0475/2018 e n° 0503/2018, a Autoridade Policial Federal colheu uma série de documentos e depoimentos que permitem deduzir circunstâncias atípicas a respeito (A) das finanças do Sr. Adélio Bispo de Oliveira e (B) do processo de contratação da prestigiada banca de advogados que patrocina a sua defesa técnica”, declarou o advogado.


Na semana passada, Frederick Wassef recebeu do presidente Bolsonaro uma procuração que concede amplos poderes para representá-lo no processo.


Após assinar o documento em 6 de maio, Bolsonaro conferiu a Wassef “amplos poderes para o foro em geral à defesa de seus direitos e interesses para representar o outorgante (Bolsonaro) em juízo ou fora dele em que for autor, réu, assistente, ou oponente, podendo propor contra quem de direito as ações competentes e defendê-la nas contrárias seguindo umas e outras até final decisão”.


“Vamos ver se esse pedido vai prosperar”, pontuou o analista político Italo Lorenzon, durante o Boletim da Manhã de quarta-feira (16).


“É curioso você ver esse cenário, porque Ernesto Araújo já teve o seu sigilo quebrado, Filipe Martins também, mas Adélio parece que tem mais do que imunidade, é uma imunidade divina, porque nem o STF se atreve a quebrar o sigilo do Adélio Bispo. A pergunta que fica é a seguinte: será que isso vai prosperar? Será que realmente esse pedido será atendido? É preciso fazer pressão”, afirmou o analista político.


“Espero que Bolsonaro tenha aí o diálogo com a sua militância, para saber que ao fazer esse tipo de movimento, é preciso que a militância também faça a sua parte, que é resgatar essa questão, pois ela não pode ser esquecida nunca. É preciso que as pessoas entendam a importância de você o tempo todo ressaltar que nós temos um presidente da República – vejam só a situação em que nos encontramos – que sofreu uma tentativa de assassinato”, ressaltou Lorenzon.


“Esse indivíduo teve a defesa dos melhores advogados, que já estavam praticamente em pleno voo na hora em que a facada foi dada, eles já estavam praticamente no avião, em um jatinho particular, inclusive, fretado particularmente apenas para levá-lo até Juiz de Fora para acompanhar o Adélio Bispo”, acrescentou.


“Por que acham que foi um ‘lobo solitário’? Esse homem é o maior lobo solitário do universo! É o lobo solitário mais bem acompanhado do universo. O indivíduo tem quatro advogados top de linha que vão defendê-lo ‘pro bono‘, sem receber (pelo menos do Adélio). Ele é servente de pedreiro e tem dinheiro para fazer viagens, curso de tiro etc., e ninguém estranha. Vem o STF e coloca em sigilo o celular dele. Isso aí é para derrubar a República. […] Isso serve de termômetro para vocês entenderem o que está acontecendo com a nossa República, esse pessoal tomou de assalto os postos de poder, os postos burocráticos, e burocracia é uma coisa insidiosa, dificílima de você conseguir dobrar, é feita para isso, só que, normalmente, é feita para resistir ao mal”, concluiu Italo Lorenzon.

5 visualizações0 comentário
Logo_Rádio_Mundial.png