• REDAÇÃO GM Brasil Notícias

Arcebispo de Belém é acusado de abuso sexual por ex-seminaristas


Quatro ex-seminaristas acusam Dom Alberto Taveira Corrêa, arcebispo de Belém (PA), de usar seu poder para investidas sexuais não consentidas durante encontros privados. O suposto abuso sexual é alvo de inquérito aberto pela Polícia Civil a pedido do MP-PA (Ministério Público do Pará) e também é investigado pelo Vaticano.

Segundo relatos feitos pelas supostas vítimas ao "Fantástico", da TV Globo, a casa onde vive Dom Alberto é o lugar onde eles passaram seus piores dias. O arcebispo costumava convidar os seminaristas para visitá-lo — e os jovens, impressionados, se sentiam privilegiados pela oportunidade. Mas foi ali que os abusos teriam acontecido.

"Ele dizia: 'Quero conversar contigo tal dia, lá em casa', lembra um ex-seminarista. "Parecia algo inalcançável. 'Nossa! Eu fui chamado para ir à casa do arcebispo'. Você se sente importante naquele momento", conta outro seminarista.

As histórias dos quatro jovens são muito parecidas: eles tinham de 15 a 18 anos quando teriam sofrido os abusos — moral e sexual —, entre 2010 e 2014. Parte dessas acusações já havia sido publicada pelo jornal El País em dezembro. "Z" conta que conheceu o arcebispo em 2011, quando tinha 15 anos e era coroinha. Depois de uma primeira conversa, Dom Alberto encaminhou "Z" ao seminário menor, para iniciantes, onde ele também cursaria o Ensino Médio. A partir daí, segundo a vítima, eles começaram a se encontrar na casa do arcebispo. "Era sempre sobre sexualidade", diz "Z" sobre os encontros no quarto de Dom Alberto.


0 visualização0 comentário
Logo_Rádio_Mundial.png